Jorge César Mota




Projeto Jorge César Mota


Sobre o Projeto


A ideia de catalogar a documentação alusiva à vida e obra de Jorge Lenz Cesar Mota (1912-2001) teve sua origem na Aula Inaugural do Curso de Pós-Graduação em Ciências da Religião, da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em 8 de agosto de 2017. Naquela ocasião, o Prof. Marcel Mendes, Diretor do Centro de Educação, Filosofia e Teologia (CEFT), fez uma breve apresentação do perfil desse instigante personagem – pastor, professor, escritor, poeta sacro – que, a despeito da vastidão da sua produção intelectual, parece ter sido totalmente olvidado pela historiografia brasileira, tanto de matriz “protestante” e “reformada”, como aquela elaborada pela intelligentsia acadêmica laica. O potencial de pesquisas, estudos e elaborações acadêmicas desse recorte temático parece ter ficado visível naquela oportunidade, ou melhor, apenas uma “pequena película da realidade”, para usar uma expressão cara a Edgar Morin.



Jorge César Mota - Bibliografia
Geraldo de Oliveira Souza


Jorge Cesar Mota foi um dos tradutores da Bíblia de Jerusalém. Pastor presbiteriano, professor universitário, escritor, tradutor, letrista e poeta. Filho e neto de professores e pastores, nasceu em Lisboa (brasileiro naturalizado) em 5 de abril de 1912, filho de João Marques de Mota Sobrinho e de Wilhelmine Lenz César, casado com Ivone Garcia e pai de Maria Antonieta. Pai de Jorge era português de nascimento, porém educado no Brasil, onde se casou. Exercia o pastorado na Igreja Presbiteriana de Lisboa. Em 1922, já com dez anos de idade, a família retorna ao Brasil. Viveu alguns anos em Minas Gerais, onde seus pais passaram a viver exercendo o magistério, primeiro em Alto Jequitibá e depois em Caratinga. Nesta última cidade, seus pais fundaram o Ginásio Luso-Brasileiro.



Unamuno e a Bíblia: uma interpretação
Marcel Mendes


Faz trinta anos que encontrei uma preciosidade literária encravada no último compartimento do pavimento mais elevado da Biblioteca George Alexander, no Instituto Presbiteriano Mackenzie, em São Paulo, e que me chamou à atenção pelo seu título, conteúdo e autoria, mas também por suas características físicas. Tratava-se da tese doutoral do Rev. Jorge César Mota (1912-2001), inteiramente datilografada, constituída de dois volumes somando mais de 500 páginas. Essa tese, que tinha por título O Influxo da Bíblia na Vida e no Pensamento de D. Miguel de Unamuno havia sido orientada pelo Professor Eurípedes Simões de Paula (1910-1977), então Diretor da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, também Doutor Honoris Causa pela Universidade de Toulouse.



Jorge César Mota - Minicurriculo na Revista de História (USP)
nº 103 - 1975


Nasceu em Lisboa, Portugal, em 5 de abril de 1912. Naturalisado brasileiro, bacharelou-se em Teologia pelo Seminário Presbiteriano de Campinas em 1937, licenciando-se em 1938. Ministro da Igreja Presbiteriana por muitos anos, em São Paulo, lecionou em vários seminários teológicos (São Paulo e Lisboa) e participou de inúmeros congressos internacionais da Federação Mundial Cristã de Estudantes e do Conselho Mundial de Igrejas, na Europa, na Ásia e na América. Bacharelou-se em Filosofia pela Universidade de São Paulo em 1959 (Licenciado em 1960), vindo a ser professor de vários estabelecimentos de ensino de São Paulo, principalmente do Instituto Mackenzie, do qual foi também Capelão e Diretor do Departamento Cultural por sete anos. Foi professor da Universidade Mackenzie e de outras Faculdades, destacando-se a de Assis (História da Filosofia e Filosofia Geral). Professor no Departamento de História da Faculdade de Filosofia da Universidade de São Paulo desde 1964, responsável pela disciplina História das Religiões e colaborando na de História Medieval. Doutorou-se pela Universidade de São Paulo em Ciências Humanas (História) em 1973, sendo atualmente responsável por cursos de pós-graduação em História Social na mesma Universidade.

Trabalhos publicados:
A Pérola das Orações (estudo sobre o Pai Nosso); A Interpretação da Bíblia Sagrada (ensaio de hermenêutica bíblica); Laudate Deum (liturgia) ; Liturgia (co-autoria); Venite Exultemus (co-autoria); Tito, meu Filho (comentário sobre o texto original da carta de São Paulo a Tito); Cadernos de Sociologia, Introdução à Lógica Formal, O Corão no Cancionero de Dom Miguel de Unamuno, A Religião na obra e na personalidade de Antero de Quental, A estrutura formal na argumentação de São Paulo e as suas possíveis relações com a lógica estóica. Autor de um grande número de verbetes sobre história das Religiões na Grande Enciclopédia Delta-Larousse e da Enciclopédia Mirador. Alem de outros trabalhos em preparo, tem pronto para o prelo o livro escrito a partir da sua tese de doutoramento, intitulado: Dom Miguel de Unamuno e a Bíblia.


Jorge Cesar Motta na Universidade Mackenzie


Em 1935, matriculou-se no Seminário Teológico da Igreja Presbiteriana em Campinas, onde estudou Hebraico e Grego bíblico por três anos e fez mais dois anos de História, especificamente História Eclesiástica. Cursou também a disciplina de Religiões Comparadas e História da Educação, bacharelando-se em 1937. Em 1938 casa-se com Ivone Garcia; no último ano do curso pré-teológico, fora eleito presidente da União Cristã de Estudantes do Brasil. Os vinte anos seguintes dedica sua vida ao ministério evangélico como pastor e como capelão.





O "Projeto Jorge César Mota" é um projeto do Grupo de Pesquisa Delphos